HISTORIA NÃO OFICIAL DE PORTUGAL

17,92

Uma maneira diferente de contar como tudo aconteceu
Divirta-se com a nossa Historia desde a fundação de portugal até aos dias de hoje esta Historia de portugal é diferente de todas as outras. Conta os factos de forma informal e divertida, desmistificando ideias feitas e traz muitos episódios que estão por contar: – viriato não era propriamente português e os lusitanos não foram os nossos únicos antepassados. – o «eterno» d. Afonso henriques muito provavelmente não era filho do conde d. Henrique e, de certeza, não batia na mãe. – os portugueses que em 1385 consolidaram a independência, derrotando os castelhanos em aljubarrota, não passavam de um grupelho de punks (considerados uns aventureiros pelos bem-pensantes) e o próprio d. João i chegou a ponderar se havia de se mudar para o lado do inimigo. – não fomos nós que, no início do século xix, derrotámos os franceses de napoleão, mas sim os nossos aliados ingleses, que eram mais aliados deles próprios do que nossos. – o 15 de janeiro de 1920 ficará para sempre na Historia, pois num só dia foram constituídos 3 governos, que caíram consecutivamente, e um deles durou apenas 5 minutos. O jornalista luís almeida martins, editor da revista visão Historia, depois do sucesso do livro 365 dias com Historias da Historia de portugal, traz-nos uma obra essencial para percebermos que a Historia do nosso país é também feita de episódios desconhecidos, caricatos e insólitos e que muitos dos acontecimentos que já conhecemos podem ser vistos a partir de uma nova perspetiva.

Categorías: , Código SKU: 9789896266714 Etiqueta: Marca:

Información adicional

Editorial

Autor

Subtítulo

Uma maneira diferente de contar como tudo aconteceu

Edición

1

Encuadernación

Brochada

Formato

16 x 23,5

ISBN

9789896266714

Páginas

464

Colección

Idioma

Fecha Publicación

01/04/2015

Temática

Info Autor

Jornalista, divulgador de temas históricos, ficcionista, guionista e tradutor, nasceu em Lisboa em 1949 e licenciou-se pela Faculdade de Letras, onde deu continuidade à participação nas lutas estudantis, que já vinha dos tempos de estudante liceal.